tunel

“A Arteterapia surgiu como profissão na década de 30. Ela oferece oportunidades de exploração de problemas e potencialidades pessoais por meio da expressão verbal e não-verbal e do desenvolvimento de recursos físicos, cognitivos e emocionais, bem como a aprendizagem de habilidades, por meio de experiências terapêuticas com linguagens artísticas variadas. Reconhece tanto os processos artísticos como as formas, os conteúdos e as associações, como reflexos de desenvolvimento, habilidades, personalidade, interesses e preocupações do paciente. O uso da arte como terapia implica que o processo criativo pode ser um meio tanto de reconciliar conflitos emocionais, como de facilitar a autopercepção e o desenvolvimento pessoal”

O arteterapeuta pode trabalhar com material usado nas artes plásticas como, por exemplo, papel, lápis de diversas cores e tipos, tintas, argila, carvão e ensinar conhecimentos técnicos simples, para que o cliente possa lidar com esses materiais. Ou pode estimular e auxiliar o paciente a desenvolver alguma outra forma de expressão artística por meio do corpo, da voz, da dramatização e etc.. Não há nestes processos nenhuma necessidade de habilidade manual ou talento artístico. O objetivo não é ensinar artes no sentido usual, nem emitir nenhum juízo crítico ou avaliação artística e sim favorecer o processo psicoterapêutico. O paciente é levado pelo terapeuta a se soltar da maneira mais espontânea possível, rabiscando, colorindo, desenhando, esculpindo, dançando, o que e como quiser. Será por estas atividades que o paciente poderá expressar seus sentimentos, pensamentos, emoções, atitudes, descobrindo aspectos seus que antes não estavam claros, reconhecendo-se no que saiu de si. Com muita frequência os pacientes ficam surpreendidos com a sua própria expressão, com o processo e o produto de sua atividade artística. O seu trabalho passa a ser visto como um espelho de aspectos anteriormente ocultos. Nesse processo de descobrir-se, conhecer-se melhor, vai se dando uma transformação, pois passa a enxergar e compreender seus próprios processos.
M. Margarida Carvalho, em “A Arte Cura” :

Paula Correa Galhego

Arteterapeuta e Psicóloga

Formação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica – PUC – SP, 1996. Especialização em Arte Terapia pelo Alchimy Art, 2004. Aprofundamentos teóricos na Psicologia Analítica de Jung, na Psicossíntese de Assagioli e no enfoque gestáltico de Violet Oaklander.Atendimentos à crianças, jovens e adultos.
(11)98857-6127 /paulagalhego@hotmail.com

Silvia Valentini

Arteterapeuta

Artista Plástica Paisagista (Anhembi Morumbi). Arteterapeuta Junguiana (UNIP). Doutorado – Paisagem e Ambiente (FAU-USP). Pós-Doutorado – Tecnologia (IME-FAU-USP). Oficinas de Arteterapia: Jung e a Natureza que nutre e purifica. Atendimento em português e inglês para jovens e adultos – pessoas com deficiências são muito bem-vindas. Material disponível também em braille.
Tel.:(11)991520321(Claro-Whatsapp)
arteterapiaenatureza@uol.com.br
http://www.jungnaturalmente.com.br/