Dicas para a verdadeira transformação da Mulher – por Patricia Cuocolo

Gostaria de compartilhar com vocês algumas percepções que venho tendo sobre as mulheres nestes anos dedicados ao trabalho com o Feminino.

Para mim, a percepção mais importante e urgente é:

“As mulheres precisam aprender a cuidar de si mesmas.”

Só assim poderão cuidar do outro (filhos, marido, amigos e amigas, pais, animais, sociedade, planeta terra) sem passar do próprio limite, sem se ferir e ferir os seus princípios de mulher.A Mulher afinada com o arquétipo da Deusa é aquela que aprendeu a se amar, a se conhecer, a conhecer as suas verdadeiras necessidades, a se expressar sem medo de ser julgada pelo que é. Aprendeu a dizer não mesmo que essa atitude desagrade ao outro, que talvez preferisse seu silêncio para não ter que se transformar… pois quando a mulher utiliza a palavra com sabedoria o movimento da transformação é certo!!

Nós mulheres temos um pacto com o Universo: o de sermos abundantemente felizes!!!!!!

Quando começamos a reconhecer o nosso poder e a agir regida por ele, passamos a ser exemplo vivo e sábio para as futuras gerações.

E quais são os princípios fundamentais que precisam ser conscientizados e honrados para a reconexão com todas as qualidades descritas acima?

  • Dedicação , paciência, intenção, compaixão e amor. Em geral as mulheres são ansiosas, apressadinhas no que diz respeito ao desejo de mudança. Uma dica? Pare tudo o que estiver fazendo, respire conscientemente várias vezes ao dia e perceba o fluxo natural. Com o tempo, você vai naturalmente percebendo quem você é! Não há transformação se não houver dedicação; não há dedicação se não houver paciência; não há paciência se não houver respiração consciente; e não há respiração consciente se não houver a intenção de parar tudo o que você estiver fazendo para ficar só com você e se auto-observar. O amor e a compaixão surgem como um presente, um milagre se você tiver feito a sua parte.
  • Os padrões negativos de comportamento, fala e pensamento são os elementos que queremos transformar,não é? Reflita agora, quais os comportamentos que geram ciclos nocivos em sua vida. Geralmente são aqueles comportamentos viciados, que nos deixam “intoxicadas”.Os vícios podem ser mentais (pensamentos obsessivos), emocionais (emoções negativas) ou corporais (hábito alimentar,postura).Para você conhecer os mecanismos desta engrenagem e os elementos que estão gerando o circuito nocivo em sua vida,você vai necessitar de tempo hábil e muita paciência, dedicação e intenção em sua investigação.

Dicas para uma investigação profunda de si mesma:

  • Observe os estágios da sua vida de mulher , trace uma linha do tempo e sobre esta linha, em ordem cronológica marque os acontecimentos e datas marcantes dos períodos vivenciados até aqui. (0-7, 7-14,14-21,21-28,28-35,35-42,42-49 e assim por diante);
  • Respeite os próprios ciclos (necessidades do momento, como recolhimento ou expansão)
  • Tenha consciência das necessidades do próprio corpo e respeite-o;(sono,alimentação,etc.)
  • Perceba a quantidade de desejos que surgem através da mente e das emoções e exercite a capacidade de ouvir o que é fantasia, ilusão e o que é realidade, verdadeira necessidade para o seu crescimento;
  • Faça a conexão com a própria verdade; (propósito de vida)
  • Antes de tomar qualquer decisão faça as perguntas: eu quero, eu tenho condições de, eu tenho recursos para? Se não tenho determinado recursos no momento, como escolho aprender?Quais são meus limites e minhas capacidades?
  • Procure sua graça na sua individualidade, no seu jeito único de fazer, de ser,de sentir,de pensar;
  • Seja criativa, ouse, tome a iniciativa, não espere que a mudança venha de fora;
  • Participe de grupos de mulheres sempre que puder e ouça as histórias de suas companheiras de jornada, você vai aprender muito;
  • Muito cuidado com as mensagens inadequadas e destrutivas da sociedade a respeito do corpo perfeito e da mulher ideal. Elas minam o poder de qualquer mulher;
  • De manhã, ao acordar, traga a lembrança de que você já é perfeita do jeito que é.

Perigos na jornada da mulher:

  • Opiniões pré – fixadas, que não se aplicam a situação real e não dão margem a diálogos. Aqui a mulher torna-se a grande inquisidora, juíza e emite julgamentos generalizados e afirmações críticas e obstinadas.
  • Fantasiar a respeito de pessoas, situações, homens, relacionamentos afetivos, e tirar conclusões baseadas em suas fantasias;
  • Feminismo traduzido em competição, frieza nos sentimentos, racionalismo exagerado;
  • Excesso de dependência afetiva em relação ao parceiro, que pode ser nos níveis econômico, decisório ou na educação dos filhos;
  • Medo de arriscar-se e crescer, mesmo que a situação vivida esteja gerando maus tratos;
  • Busca constante de proteção pelo medo de ficar “desprotegida” e quando se sente ameaçada nesse sentido fica até mesmo doente;
  • Agir impulsivamente, “sem pensar”, causando danos a si e aos outros;
  • Fazer compulsivamente pelo outro,e esquecer de si mesma;
  • Falar compulsivamente e não dar espaço para ouvir o seu reino interior e o outro;

Características naturais do ser feminino, que necessitam ser relembradas pela mulher na busca de si:

· Profunda capacidade de compreensão do outro. O ser feminino é extremamente capaz de ter compaixão, de se colocar no lugar do outro, de estar junto;

· Julga a partir do coração;

· É naturalmente sensível e busca sempre o equilíbrio entre os vários reinos da natureza como as plantas, os animais, os seres humanos e a mãe – terra;

· É portadora da criatividade.

· Tem enorme capacidade de unir, de criar situações de coesão;

Então, comece agora mesmo a ser você mesma!!! Eu garanto que vale a pena!!!!

Seja feliz!!!

“Quem olha para fora sonha, quem olha para dentro, desperta.”

Jung

Clique em:  outros artigos

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.