Vício em satisfação gera insatisfação

Vício em satisfação gera insatisfação

Vício em satisfação gera insatisfação

Insatisfação

Você já se perguntou qual a causa de sua insatisfação? 

 

Para compreendermos melhor a causa da insatisfação recorrente, é fundamental percebermos como anda a nossa mente emocional? Qual a qualidade dos pensamentos, emoções e sensações que estamos vibrando em nosso dia a dia? 

A mente mais ordinária e comum é faminta e ansiosa e enquanto não praticarmos a desidentificação e o desapego de certos padrões mentais, estaremos sempre conectados à ânsia da completude, de algo que nos preencha, que seja vivido intensamente (mesmo que seja em um momento apenas) e nos realize naquilo que esperamos ansiosamente: realizar os desejos. 

O desejo vem da falta e a falta traz insatisfação, porém, no momento em que realizamos aquilo que desejamos, então nos sentimos satisfeitos e preenchidos (momentaneamente) e daí, depois de algum tempo, já caímos na falta novamente e desejamos novamente mais e mais e surge, por consequência, a insatisfação cada vez mais profunda. 

Portanto, fundamental refletirmos profundamente sobre nossos desejos (a ansiedade) e quais as faltas, dores e vazios que queremos preencher. 

“Perguntinha fundamental:  

Você realmente quer aquilo que desejas?” 

Afinal, por que nunca nos satisfazemos?

A insatisfação é uma característica que se encontra na origem do desenvolvimento humano. A busca por realizações, sucesso, conquistas, poder, prazer, reconhecimento vem com o desenvolvimento do Ego (o falso eu). 

“O Ego quer o resultado, a conquista, a satisfação, o “chegar lá…” 

Acontece que no momento que você terminou “o chegar lá”, já voltou para o presente e está aqui novamente; e então, a mente egóica busca rapidamente outra opção, outra conquista, outra realização. 

“A satisfação em si, nunca será preenchida completamente, 
pois a natureza do desejo é a falta!” 

Vício em satisfação gera insatisfaçãoAcolher e aceitar o “aqui e agora” para uma mente egóica é inaceitável. A mente egóica nunca está no presente, ela somente usa o presente para chegar no futuro e conquistar o objeto do desejo e se saciar. 

Este falso eu, o Ego, atua de duas formas principais: através da mente emocional e através do corpo. Através da mente emocional acontece vários distúrbios em vários níveis. 

A ansiedade é o maior distúrbio mental existente nos dias de hoje, onde o indivíduo é criado e educado para as conquistas, as realizações e um ideal de felicidade e prazer completamente ilusórios. 

Através do corpo físico, os distúrbios vêm das somatizações, posturas e hábitos, da busca por sensações de prazeres diferenciados. 

 “I can’t get no satisfaction.. 
Cause I try and I try and I try and  I try…” 

 The Rolling Stones 

O Desejo

Estamos numa Era de “Síndrome de Informação Crônica” e com ela, toda uma gama de ofertas sedutoras em vários níveis e que alimentam a mente ansiosa e faminta e, consequentemente, o desejo e a busca por satisfações infindáveis: 

  • Doces e salgados, cada vez mais saborosos e viciantes 
  • Drogas, cada vez mais com sensações prazerosas e relaxantes. 
  • Relacionamentos intensos, idealísticos e apaixonantes. 
  • Sexo, pornografia, prostituição, libertinagem, orgasmos alucinantes.  
  • Objetos materiais que trazem poder: carros, casas, relógios, roupas, viagens. 
  • Profissões e cargos que geram status, regalias e poder. 
  • Viagens paradisíacas que vendem muita satisfação. 

 Leia o artigo : Despertar.

Onde está a verdadeira felicidade?

Com todas as facilidades do mundo moderno, os padrões de satisfação se elevaram demais e a nossa exigência da realização do desejo (pseudo-felicidade) aumentou drasticamente.  

E todas essas facilidades (e não felicidades) também nos permitem fazer muitas escolhas ao mesmo tempo. Ou seja, sempre queremos mais e mais (buscar mais satisfação, pois nunca é o suficiente). 

Porém, cada escolha traz renúncias. Só que, no mundo atual, para cada escolha que fazemos, renunciamos a centenas de outras. E o ego não quer perder nada! Quer ter o direito a tudo. E isso gera insatisfação, pois nunca está bom o suficiente, sempre existe a possibilidade de ter mais…. 

Vício em satisfação gera insatisfação

Satisfação é felicidade?

“Satisfação # Contentamento” 

 Existe um termo em sânscrito, nos preceitos éticos do Yoga que é “Santosha”. 

“Santoṣha” quer dizer contentamento, ou seja, a capacidade de estar em paz consigo mesmo e com o mundo. Não é resignação, mas a capacidade de adaptar-se e permanecer num estado de plenitude, sejam quais forem as adversidades que estivermos atravessando. 

Não existe insatisfação quando vivemos em contentamento. 

 “A satisfação é uma ilusão momentânea de felicidade…” 

Veja o artigo : O medo do vazio.

Satisfação na insatisfação?

 A busca por satisfação tende a tornar-se viciante e crônica. 

Quanto mais eu desejo, mais eu anseio, mais crio expectativas. 

Se não realizo o desejo, me frustro profundamente. 

Se realizo o desejo, tenho um momento rápido de prazer, porém, logo vem o anseio de “quero mais”. 

É criado um hábito recorrente neste eixo: 

  • *Hábito – busca pela satisfação- recompensa (conquista do objeto)  
  • *Insatisfação – objeto e relação com o objeto é impermanente e novamente repete…. 

Veja o artigo : DESILUSÃO 

 “No caminho mundano, você será sempre movido pela insatisfação, pelo desejo e pelo piloto automático, instalado em seu cérebro, sempre focando no amanhã.”  

Buda Sidarta Gautama 

Caminhos de consciência e transformação

O primeiro passo para tratar a insatisfação crônica é admitir o problema e querer de fato mudar o padrão de comportamento. A partir daí, também é recomendável:  

  1. Aquietar a mente: meditação, respiração, yoga, práticas aeróbicas. 
  2. Buscar apoio terapêutico: tratar as causas do vazio, da dor e da escassez. 
  3. Focar no essencial: deixe de querer sempre mais. Aprenda a detectar o que é realmente essencial e o que te faz vibrar. Aquilo que é um simples desejo, não se identifique, desapegue. 
  4. Estabelecer metas coerentes e propósitos verdadeiros com sua trajetória e valores pessoais, evitando fazer comparações com a vida alheia. 
  5. Criar o hábito de agradecer:  praticar a gratidão pelo que já se vive e se tem. 
  6. Olhar para trás: revisitar sua história e narrativa de como você era, e vivia antes, e como está e vive agora; é fundamental valorizar os progressos. 

Mantra da Plenitude

OM PURNAMADAH PURNAMIDAM PURNAT PURNAMUDACHYATE
PURNASYA PURNAMADAYA PURNAVEVASHISHYATE
OM SHANTI, SHANTI, SHANTI 

(Tradução)
Om, Isto é plenitude. Aquilo é plenitude. Da plenitude, a plenitude surge.
Tirando-se a plenitude da plenitude, somente a plenitude resta.
Om, paz, paz, paz

Leave a Reply

Your email address will not be published.

18 − 5 =

pt Portuguese
X